Ponto Comercial

Como escolher um ponto comercial para sua franquia

Ponto Comercial

Ilustração – Franchisingbook

Fonte: Sebrae Nacional

A escolha do ponto é uma das etapas mais importantes no processo de implantação de uma franquia.

Localização

A escolha do ponto comercial pode significar o sucesso ou o insucesso de um negócio e para avaliar corretamente o empreendedor precisa se cercar de alguns cuidados que envolvem questões legais, financeiras e estratégicas.

É preciso verificar primeiramente se não há impedimento legal para a abertura do negócio pretendido no local desejado e providenciar as licenças necessárias para a sua instalação. Mesmo tendo a assessoria da franqueadora para a escolha do ponto, a responsabilidade para o cumprimento de todas as exigências e a obtenção da autorização de funcionamento caberá ao franqueado.

Financeiramente será fundamental analisar se o preço do aluguel é compatível com o plano de negócio da franquia e analisar o tempo de vigência e as condições para a renovação do contrato, uma vez que o franqueado investirá tempo e dinheiro na reforma do ponto para adequá-lo ao projeto arquitetônico definido para a rede.

Não menos importante será a verificação da adequação do ponto ao público-alvo da franquia, levando em consideração seus hábitos de consumo, os horários de funcionamento da empresa, o fluxo de pessoas, as lojas próximas e a facilidade de acesso ao local.

Devido à sua experiência, as franqueadoras costumam incluir no suporte oferecido à rede a assessoraria para a escolha do ponto, utilizando, cada vez mais, ferramentas de geomarketing que as auxiliam na sugestão dos pontos mais indicados.

Auxílio do franqueador para a escolha do ponto

Na elaboração do plano de expansão da franquia as empresas franqueadoras estimam o número de unidades que serão abertas por município, definindo o território exclusivo de atuação de cada uma delas.

Para o comércio, a escolha do ponto representa um fator crítico para o sucesso do negócio. E a experiência da franqueadora se torna fundamental para auxiliar os franqueados a abrirem suas unidades nos locais onde o esforço de marketing seja menor e onde as características do ponto sejam mais adequadas ao perfil de seus clientes potenciais.

Atualmente, para facilitar a visualização dos melhores pontos para seus modelos de negócio as franquias, após definirem o público-alvo para seus produtos e serviços, têm à sua disposição ferramentas de geomarketing que disponibilizam informações segmentadas sobre o mercado em forma de mapas digitais. Esse levantamento, que pode ser feito pela própria franqueadora ou terceirizado para empresas especializadas no uso dessas ferramentas, servirá para indicar os melhores locais para a abertura das unidades.

O auxílio do franqueador, para ser efetivo, precisará aliar a visibilidade e adequação do ponto ao público-alvo da franquia a outros fatores também fundamentais para o franqueado, como o tamanho, os valores e as questões contratuais. Para isso ele terá que conhecer muito bem o negócio que está franqueando, a legislação vigente e ter capacidade para negociar, especialmente nos shopping centers.

Qual o melhor ponto?

A escolha do ponto é uma das etapas mais importantes do processo de implantação de uma nova unidade franqueada e definir os aspectos principais a serem avaliados é tarefa do franqueador. O melhor ponto não é o mais barato ou o mais caro, o maior ou o menor. É aquele que possui as características físicas, adequação ao público da franquia e condições comerciais e legais que propiciem a melhor relação custo-benefício e deem mais segurança aos franqueados na condução de seus negócios.

Por vezes as lojas de rua podem ser mais lucrativas, por não exigirem o pagamento das altas taxas cobradas nos shoppings, mas podem oferecer mais riscos aos empresários ou não atrair o público desejado. Já os shoppings podem dar mais segurança, mas inviabilizar financeiramente a empresa ou atrair frequentadores que não tenham afinidade com a marca ou não tenham condições de adquirir seus produtos e serviços.

A operação de uma franquia deve ser pensada no longo prazo, o que implica em conhecer as características atuais e potencialidades das regiões onde ela será instalada, permitindo que as unidades sejam abertas em locais que favoreçam o seu crescimento. O melhor ponto será aquele que tiver sido selecionado após terem sido relacionadas e avaliadas as principais vantagens e desvantagens para o modelo de negócio que será comercializado.

Escassez e alto preço dos alugueis

A estabilidade econômica, que tem possibilitado a abertura de um grande número de empresas nos últimos anos, associada à pouca oferta de unidades comerciais nas grandes cidades têm gerado grandes preocupações aos empresários, tanto pelos altos preços cobrados pelos alugueis, quanto pela dificuldade para encontrar o ponto ideal para os seus empreendimentos.

As redes de franquias têm buscado alternativas para driblar a situação. Várias unidades têm sido abertas em cidades de médio porte ou em regiões fora do eixo Rio-São Paulo. Nestes locais, apesar da necessidade de maior investimento dos franqueadores para dar suporte aos franqueados em unidades distantes de suas cidades de origem, as franquias têm encontrado situações mais favoráveis ao seu crescimento.

Algumas alternativas também têm sido adotadas pelas franquias, como a formação de parcerias entre diferentes marcas para oferecerem seus produtos num mesmo lugar, a abertura de unidades em pontos menos tradicionais que as lojas de rua ou shoppings e a criação de outros modelos de negócio, como as unidades móveis, que têm a vantagem de poder expandir as vendas sem que haja a necessidade de abertura de lojas fixas na mesma proporção, mesmo que elas dependam das lojas para serem abastecidas com os produtos da franquia.

Como não se pode garantir a redução dos preços dos alugueis em um curto espaço de tempo, as franquias precisarão continuar investindo em novos modelos e novas formas de fazer chegar seus produtos e serviços a seus clientes.

Tendências

A diferença entre o número de pontos comerciais disponíveis e o desejo de crescimento das redes faz surgir novos formatos de franquia, incrementam alguns segmentos que dependem menos da existência de uma loja física, estimulam acordos e parcerias e intensificam a busca por novos mercados.

Pequenas franquias cujos serviços são prestados no endereço dos clientes ou que podem ser administradas em unidades home based (aquelas cujas operações são simplificadas e podem ser geridas a partir da residência dos franqueados) devem continuar crescendo nos próximos anos. Seus maiores atrativos são os baixos custos operacionais, inclusive por não exigirem o aluguel de imóveis caros e em pontos disputados.

Já há alguns anos, as franquias também têm sido chamadas a abrir suas unidades em postos de gasolina, aeroportos, universidades e supermercados. Por terem marcas conhecidas e atraírem mais público, levando as pessoas a permanecerem por mais tempo nesses locais ou por deixarem os consumidores mais satisfeitos ao conseguirem atender suas necessidades aliando qualidade e comodidade, elas se apresentam como uma boa opção de parceria para os gestores desses locais.

 

A conversão de negócios próprios em franquias também tem permitido que as franquias estejam presentes em um maior número de pontos aproveitando as lojas já existentes.

Buscar alternativas mais baratas para os empreendedores, em novas praças, com novos formatos é uma tendência e um desafio para as marcas.

Os documentos que você deve ler antes de entrar na franquia.

Empresas Lucrativas

Como escolher um ponto comercial para sua franquia
Deixe sua Nota para Nosso Post!

  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.